segunda-feira, 9 de fevereiro de 2009

Braço de Prata

"A Fábrica do Braço de Prata, em Lisboa, começou a funcionar em 1908, com a denominação oficial de Fábrica de Projecteis de Artilharia, fabricando essencialmente munições de Artilharia e estando dependente do Arsenal do Exército. Com a extinção posterior do Arsenal do Exército, a fábrica tornou-se um estabelecimento independente dentro do Ministério de Guerra".

Desctivada nos anos 90, a Fábrica do Braço de Prata é hoje uma Livraria com 12 salas e 3 Ateliers, um Projecto conjunto das Livrarias Eterno Retorno e Ler Devagar, um centro de cultura com cinemas, ateliers, concertos, dança, teatro, exposições, conferências, entre tantas outras expressões artísticas.

No passado sábado passei por lá, e é, sem dúvida, um local a visitar mais vezes. A noite começou ao som da MPB e Bossa Nova, numa viagem conduzida pelo inigualável Luiz Caracol e os seus inseparáveis companheiros, os Vira Lata. A escolha do reportório, foi como sempre brilhante: de Tom Jobim a Ivan Lins, de Lenine a Seu Jorge, de Gilberto Gil a Djavan... A sala estava repleta e imaginem a cena: estantes com livros por todo o espaço, ao fundo um palco improvisado e no meio, as mesas e as cadeiras onde está o público.

Foi mesmo excelente ver e ouvir os Vira Lata fora do circuito normal dos bares. Houve um silêncio e uma atenção absolutos durante o concerto, um interesse genuíno na música e nos músicos. Delicioso!

A seguir, passámos ao Jazz. O André Mota Quarteto instalou-se no palco e deu-nos belos momentos de Jazz. Um belo Groove, sem dúvida.

Depois de uma visita de reconhecimento ao espaço, de ter pegado nalguns livros e de ter passado os olhos pela exposição de fotografia que está por lá, acabei a noite a ouvir Fado. A sala tinha o ambiente próprio de uma casa de Fados, todos sentados á média luz com vinho tinto nas mesas. O anfitrião foi o Helder Moutinho, mas o palco era aberto a todos os que quisessem cantar. Um belo momento de convívio musical.

Um serão muito bem passado, num espaço absolutamente delicioso, cheio de surpresas e encantos. Fiquei com vontade de lá ir também durante o dia. A luz do sol deve trazer-lhe uma magia diferente!

Visita obrigatória para os amantes da cultura e da diversidade! A não perder!


Fábrica do Braço da Prata
Rua da Fábrica do Material de Guerra, nº1
1950-218 Lisboa


* Fotos e informação retiradas da Internet

3 comentários:

Marsh disse...

Eh pá, ja andava com vontade de conhecer isso há algum tempo... mas agora depois de ler-te então, bolas! Que noite de sonho!! Vira lata, Jazz e Fado de seguida com livros e fotografia á mistura??? TAMBÉM QUERO!!!! Fica JÁ na lista das coisas a fazer LOGO QUE POSSÍVEL!!

E acho taaaanta piada quando dizes que és minha fã =) adoro eh eh és a maior pá.

Esqueci-me de referir que o facto de não te colocar na lista deve-se essêncialmente por ter num nr limite de e-mails autorizados a colocar lá, apenas 10. Daí eu dizer que assim é mais uma pessoa que fica a receber ;)

Beijooooooo!!

Ginger disse...

Sim é mesmo imperdível... tens mesmo lá ir...é brutal!
Tem sempre imensas actividades a decorrer e o espaço em si está muito bem aproveitado!

Quanto á parte de ser tua fã é mesmo a sério ...sabes que eu digo sempre a verdade! =D

*** Beijo enorme***

Marsh disse...

És a maior pá =)