terça-feira, 14 de julho de 2009

E o Porto aqui tão perto...

Depois da emoção do Optimus Alive, com um absolutamente extraordinário, excitante, estonteante, brutal - e outros tantos adjectivos que certamente não caberiam neste post - concerto dos grandes Metallica, estava já a sonhar com o SuperBock Super Rock e com o concerto de Depeche Mode... eis senão quando, na véspera, me dizem que o concerto foi cancelado...segundo as notícias que correram, Dave Gahan ter-se-à lesionado numa perna, o que o impossibilitou de vir a Portugal.

Bom... foi um enorme balde de água fria. Meses a preparar este acontecimento, bilhete do concerto e de comboio comprados com imensa antecedência, hotel reservado para o fim-de-semana...enfim, todos os pormenores tratados e antecipados, e depois... não há concerto!

É que se há uma banda que eu gosto mesmo, são os Depeche Mode. Acompanho-os desde os primeiros tempos, conheço as suas obras de trás para a frente e o último concerto que vi foi simplesmente fenomenal! Por isso, fiquei mesmo muito decepcionada.

De qualquer forma, decidimos ir ao Porto na mesma (eu e 3 amigas, todas fãs de D.M.) e ainda bem que o fizemos. Uma espécie de fim-de-semana "just girls".

O Porto continua lindíssimo. Já tinha saudades da cidade, especialmente de passear na Ribeira, um dos meus lugares preferidos. Chegámos com o tempo cinzento, mas foi-se compondo ao longo do dia e o sol brilhou em grande o resto do fim-de-semana! Excelente!

O mais engraçado de tudo isto, é que, por portas e travessas (e graças a alguns amigos bem relacionados) conseguimos arranjar convites para o festival (o que nos permitirá reaver o dinheiro dos bilhetes). O Estádio do Bessa estava, como já se esperava um pouco despido de público, apesar do ambiente estar bastante animado.

Os The Gift e os Xutos&Pontapés foram recrutados, num carácter de emêrgência, para substituir os cabeças de cartaz, numa tarefa bastante ingrata de agarrar um público que se sentia defraudado á partida.

Mas correu mesmo muito bem. Os The Gift deram um belo espectaculo. Foi a 1ª vez que os vi ao vivo e fiquei agradavelmente surpreendida. Uma excelente performance de Sónia Tavares, que soube cativar o público desde o primeiro minuto, com muita garra e energia e oferecendo aos presentes os grandes êxitos da banda como "Music", "OK do you want something simple", "Fácil de entender", entre outros.

Realmente um concerto excelente, de uma banda que, na minha opinião, se afirma como uma das mais criativas e coerentes da música portuguesa e de uma vocalista brilhante, que se destaca num panorama onde as mulheres têm uma expressão ainda bastante débil. Certamente uma experiência a repetir.

Quanto ao Xutos não há muito a dizer...apesar de não ser grande apreciadora da banda, é impossível não lhes reconhecer o mérito e a qualidade e é impossível não cantar ao som de temas emblemáticos como "Contentores", "Circo de Feras, "Homem do Leme", "Chuva Dissolvente", e tantos, tantos outros, que o público cantou sempre em uníssono com a banda. Performance enérgica e irreprensível de um Zé Pedro que melhora há medida que os anos passam.
Fantástico!

2 comentários:

Marsh disse...

Isso faz-me lembrar de imediato o meu galo quando fui á Suécia para ver os Metallica =p com a agravante de ser um pouquito mais longe, e de só ter sabido que não ia haver concerto já lá dentro =P mas pronto, compreendo a tua frustação!!

Fizeste bem em ir ao Porto na mesma, vale sempre a pena la ir... é uma cidade especial.

Espero que estejas bem!

Beijo!!!

Ginger disse...

A tua situação conseguiu ser bem pior do que a minha, é verdade!

Eu estou bem...


Beijos!!!